Turismo sustentável no centro dos diálogos da Amazônia’

Turismo sustentável no centro dos diálogos da Amazônia’

Turismo Sustentável na Amazônia

Por Christina Hayne (DRT 1759/PA)

Febtur Pará

             Já empossado desde o último dia 03 de agosto, o ministro do Turismo, Celso Sabino, paraense veio a Belém para participar dos eventos ‘Diálogos da Amazônia’ e Cúpula da Amazônia como um dos integrantes entre os ministeriáveis da presidência da República que estão participando ativamente da programação. Celso Sabino, deputado federal eleito pelo estado do Pará disse que assume o ministério do Turismo com a missão de fazer do segmento uma ferramenta de desenvolvimento sustentável e este será o caminho a ser trilhado pelo setor no Brasil.

Foto João Ramid – Diálogos da Amazônia

O evento ‘Diálogos da Amazônia’, que antecede a ‘Cúpula da Amazônia’, aconteceu no Hangar Centro de Convenções e reuniu a sociedade civil organizada, cerca de 14 mil pessoas que se inscreveram para participar e contribuir com experiências e conhecimento na busca por soluções voltadas para preservação de florestas e de todo o meio ambiente; pela preservação territorial e proposições sobre problemas e alertas de milhares de vozes que residem na Amazônia Legal.

Hoje o grande desafio e trabalhar o desenvolvimento sustentável e esse desafio é grande também no segmento turístico. As vozes de quem mora na Amazônia, os dados coletados, a troca de experiências  e as estratégias para a Região Amazônica pensadas e debatidas pela sociedade civil organizada e pelo setor público durante o evento ‘Diálogos da Amazônia’ serão entregues por meio de relatórios produzidos por todas as plenárias aos chefes de Estado dos oito (8) países representados na ‘Cúpula da Amazônia’, além do Brasil com representantes dos nove(9) estados que integram Amazônia – Pará, Amapá, Acre, Rondônia, Roraima, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso e Tocantins-, presente os países fronteiras – Bolívia, Equador, Peru, Colômbia, Guiana Francesa, Venezuela e Suriname.

Na prática, o que se espera alcançar é o compromisso das autoridades em favor da vida, da defesa da floresta e do desenvolvimento sustentável, o que implica, entre as muitas questões, a busca por soluções, o engajamento a luta e direitos dos povos indígenas e demais povos tradicionais da Amazônia brasileira; a questão do esforço para se atingir a meta ao desmatamento zero; o engajamento para preservação ambiental; atenção para a cultura e segurança alimentar na Amazônia; a opção pela energia limpa; o compromisso contra a exploração do petróleo e entre outras tantas decisões a serem tomadas, garantir a transformação do atual modelo econômico e social na Amazônia e no Brasil para um modelo econômico limpo e sustentável, ambientalmente correto e socialmente justo.

Autoridades da Presidência da República, Governo do Estado do Pará e integrantes da Câmara dos Deputados.

Porém, se esse parlamento que se apresentou no evento ‘Diálogos da Amazônia’ terá poderes deliberativos, vai depender do grau de compromisso das autoridades dos países amazônicos.

Em entrevista para a Federação Brasileira de Jornalistas e Comunicadores de Turismo do estado do Pará (Febtur /PA), o ministro Celso Sabino, do Ministério do Turismo (MTur), disse que os eventos ‘Diálogos da Amazônia’ e a Cúpula da Amazônia marcam os preparativos da realização do maior evento climático do planeta, a COP 30, que será realizado aqui em Belém, em novembro de 2025. Ambos eventos importantes, reunindo chefes de estado dos países da Amazônia, povos originários, comunidades tradicionais, representantes de todos os países que fazem parte da Amazônia Legal e da sociedade.

Ministro do Turismo – MTur, Celso Sabino, Secretário do Turismo do Estado do Pará- Setur, Eduardo Costa, presidente da ACP – PA

              Uma prévia positiva para o evento global que vai reunir mais de 60 mil visitantes e chefes de estado de 187 países já confirmados.  “Estamos nos organizando para mudar conceitos; preparando a Amazônia, o Brasil e o mundo para frear as causas climáticas e transformar o planeta. Estamos buscando uma mudanças de modelos econômicos e sociais”, disse o novo ministro.  (Veja entrevista com ministro Celso Sabino em www.febtur.org.br).

Celso Sabino, MTur, fala ao trade turístico do Pará, no Salão Nobre da Asociação Comercial do Pará.

            Celso Sabino participou de extensa agenda positiva nos dias dos eventos. Pela manhã do dia 06 de agosto, por exemplo, reuniu-se com o trade turístico do Pará, no salão Nobre da Associação Comercial do Estado do Pará (ACP).

Trade turístico reune-se na ACP com Celso Sabino, MTur e Marcelo Freixo, Embratur.

           Presentes no local, o presidente da Embratur, Marcelo Freixo; prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues; Sebastião Campos, presidente da Federação do Comércio, Bens, Serviços, Hospitalidade e Turismo – Fecomércio; Presidente da Associação Comercial do Estado do Pará (ACP) e demais entidades do trade turístico. O evento teve a organização do Fórum das Entidades Empresariais do Pará; Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e o Sebrae, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas.

Marcelo Freixo, presidente da Embratur.

No turno da tarde do mesmo dia, o turismo também foi tema na programação do ‘Diálogos da Amazônia’, que promoveu plenárias das mais diversas. Sob o tema “O turismo sustentável como ferramenta de empoderamento das comunidades tradicionais amazônicas”, interessados lotaram a plenária que tratou da apresentação de ‘cases’, tidos como iniciativas exitosas e referências para Amazônia no que tange atenção ao turismo ligado a cadeias produtivas, ao turismo rural, de base comunitária e ao turismo baseado na diversidade, na preservação ambiental e sustentabilidade.

Apresentação case produção de chocolates na Ilha do Combu, dona Nena.

 

Entre os cases, que foram apresentados ao ministro Celso Sabino do MTur e ao presidente da Embratur, Marcelo Freixo, destaque ao ‘case’ produção de chocolates na ilha do Combú, em Belém; para a construção de possível rota turística a partir da maior extensão da faixa de manguezal do litoral brasileiro e do artesanato Ipê Porã, ambos os projetos do município de Bragança, Pará. Apresentação demonstrou o modelo sustentável a ser seguido para consolidação de novos roteiros rurais e sustentáveis de base comunitária.

 

LEIA TAMBÉM

COMENTÁRIOS

DEIXE SUA OPINIÃO

POR FAVOR, INCLUA SEU COMENTÁRIO
POR FAVOR, INCLUA SEU NOME